Arquivo do mês: julho 2009

Eu vi ao vivo (2)

Durante a nossa vida, temos algumas chances de presenciar momentos históricos. Às vezes, as condições financeiras propiciam estarmos no local do evento, seja uma partida de futebol, um show ou uma festa eleitoral. Em outras oportunidades, as chances de viver a história são na televisão.

O domingo 5 de julho deste ano foi um desses momentos. Nesse dia eu, que estou trabalhando muito neste último mês e ando preocupado com uma série de coisas (dinheiro, a filha que está por vir, o meu futuro e etc.), acordo com a clara intenção, dentre outras coisas, de ver a história acontecer.

O placo não poderia ser melhor. Londres, Wibledon, Inglaterra. Contudo, diga-se de passagem, o esporte não é dos mais populares. Alias, embora considerado nobre, não tem tanta repercussão em canais abertos e poucas pessoas falam do feito nas ruas, seja aqui em Palmas, ou em qualquer outro lugar do Brasil.

Porém, era um dia histórico. Cheguei a comentar sobre o jogo com a minha esposa e com alguns amigos. Poucos, porém, deram alguma importância. Alias, a exceção quando do Márcio (que deixou de ver a grande parte da partida), sócio do blog, o assunto parecia ser restrito a mim.

Bom, falo (ou seria escrevo) da final de Wimbledon deste ano, quando o suíço Roger Federer enfrentou o norte-americano Andy Roddick, pela final do torneio. A vitória de Federer transformou ele no maior tenista de todos os tempos. Os números não mentem. Ele venceu mais grand slans, chegou a mais finais, voltou a ser o número 1 do mundo no ranking, tem o recorde de semanas consecutivas no posto, além de possuir outras 47 marcas que podem ser conferidas aqui.

Federer sempre foi o melhor; agora, ele apresenta números incontestáveis
Federer sempre foi o melhor; agora, ele apresenta números incontestáveis

A partida final foi uma batalha memorável. O Roddick, que se destaca pelo forte saque, fez menos aces, mas jogou como nunca. Federer teve sorte em momentos pontuais e não parecia ser aquele fenômeno, que supera os adversários com facilidade e, fazendo uma comparação rude, parece ser o Zidane da quadra de tênis.

Mesmo assim, o suíço levou a melhor e entrou para história. A excessão do primeiro set, que eu não acompanhei na totalidade, vi todo o resto do jogo, até o final. Foram 4 horas e 16 minutos de jogo. Os prcias ficaram em 5/7, 7/6(6), 7/6(3), 3/6, 16/14.  Isto mesmo, o último set, que não tem tie-break, teve nada menos do que 30 intermináveis games.

Valeu a pena. Eu vi a história.

O título do post remate ao primeiro do blog após apresentação.

A foto é do site do Torneio de Wimbledon.

Abraços,
Daniel Machado

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Tive que fazer

Como vocês sabem, eu sou jornalista. Trabalho no Jornal do Tocantins e atuou, também, como assessor de comunicação da CDL de Palmas. Esta quinta-feira, 9 de julho, foi ruim e diferente no final do dia.

Eu sou repórter da editoria de política, mas, neste mês, estou de editor interino de esporte, substituindo o colega Reinaldo Cisterna que está de férias. Na quinta-feira, o Internacional, o meu clube e também dos demais sócios deste blog, jogou a segunda final da Recopa-Sul Americana contra a LDU do Equador. O jogo foi em Quito, no Estádio Casa Blanca. Além da altitude de mais de 2.800 metros, o time da LDU é qualificado e contou com uma torcida empolgada e barulhenta.

Para completar, o Inter, embora líder do Campeonato Brasileiro, não vive boa fase técnica, com a defesa falhando muito e dois dos seus principais jogadores, D’Alessandro e Taison, jogando muito pouco.

Como se não bastasse tudo isso, o Inter já havia perdido o primeiro jogo em casa, pelo placar de 1 x 0, ou seja, o adversário jogava pelo empate. Quase como se fosse uma batalha perdida.

 Eu olhei o jogo no jornal, “sozinho”, sem a companhia da galera colorada na Adega do Cláudio.

A LDU, com facilidade, superou o Inter pelo placar de 3 x 0. O time colorado parecia uma caricatura do que já foi neste primeiro semestre de 2009. Acabou inapelavelmente abatido pelos equatorianos. Depois da surra, tive de editar a página 10 de esporte, com a matéria da Agência Estado (AE) – agência que o Jornal do Tocantins é cliente para as reportagens nacionais e internacionais. A matéria já destacava a vitória do adversário. Na página, reservei um espaço grande para a final da Recopa. Coloquei uma boa foto da comemoração do primeiro gol equatoriano.

Nem Nilmar brilhou no jogo desta quinta-feira, no Estádio Casa Blanca

Nem Nilmar brilhou no jogo desta quinta-feira, no Estádio Casa Blanca

Fiz um título destacando o título da LDU. Na linha de apoio (“olho” para alguns jornalistas), outra frase destacando a superioridade do time da LDU e o placar de 3 x 0. Algo, que realmente, não queria ter feito.

Diferentemente da final da Copa do Brasil, onde fomos superados pelo Corinthians, a derrota para a LDU pareceu mais triste pela melancolia. Sem adversário do país do outro lado, nós colorados fomos acachapados e ficamos com aquele sentimento de impotência, como se tivéssemos torcendo para um time sem alma, sem indignação.

Foi uma página que nunca queria ter feito.

A foto é de Alexandre Lops, da Assessoria de Comunicação do Inter.

Abraços,
Daniel Machado

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Palpite para o Brasileirão 2009

Já está em andamento o Brasileirão, a competição mais importante do país. Como estamos na oitava rodada, ainda tem muito chão pela frente.

5356corrida

O campeonato começou recheado de grandes jogadores, alguns dos quais infelizmente já foram ou estão indo para ligas mais ricas, mundo afora: Ronaldo, Fred, Adriano, Nilmar, Maxi López, Diego Tardelli, Keirrison, Neymar, Washington, Carlinhos Bala, Kuki, Iarley , Pedrão, Marcelinho Carioca, Marcelinho Paraíba. Junto com tantos outros operários anônimos e revelações que certamente surgirão, eles fazem da competição uma verdadeira caixinha de surpresas.

Tem ainda os bons técnicos, grandes estrategistas do futebol, e os sempre polêmicos árbitros.

Em suma, considero o Campeonato Brasileiro o mais disputado do mundo.

Pelo menos oito times começam a competição com reais chances de levantar a taça.

Aí está meu palpite de como terminará a tabela de classificação:

1º Internacional

2º Corinthians

3º Cruzeiro

4º Atlético-MG

5º Flamengo

6º Vitória

7º Grêmio

8º Fluminense

9º São Paulo

10º Santos

11º Palmeiras

12º Sport

13º Barueri

14º Coritiba

15º Goiás

16º Atlético-PR

17º Náutico

18º Santo André

19º Botafogo

20º Avaí

Abraços,
Anderson Fonseca

1 comentário

Arquivado em Esportes, Futebol