Arquivo do mês: outubro 2009

Colorados de Palmas trazem Caçapava para o Gre-Nal

Cçapava era uma importante figura no Inter dos anos 1970

Cçapava era uma importante figura no Inter dos anos 1970

Além de acompanhar o Gre-Nal pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo com o tradicional churrasco na Adega do Cláudio, os torcedores do Internacional em Palmas prepararam uma outra atração para este clássico: a presença do ídolo da década de 70 Luís Carlos Melo Lopes, conhecido como Caçapava.

Volante do time bi-campeão nacional nos anos de 75 e 76, o ex-jogador mora, atualmente, no Piauí, onde trabalha numa escolinha de futebol.

Caçapava se destacava pela força física e grande poder de marcação. Num time que tinha jogadores de grande habilidade como Falcão, Carpeggiani e Batista, cabia ao volante o trabalho de proteger a defesa e anular as principais peças da equipe adversária. Numa de suas atuações mais memoráveis, praticamente anulou o craque Rivelino na semi-final do Brasileirão de 1975, em pleno Maracanã, sendo um dos responsáveis pela impressionante vitória de 2 a 0 sobre uma equipe do Fluminense que era singelamente conhecida como “Máquina Tricolor”.

Falcão e Caçapava, técnica e força no meio-campo colorado

Falcão e Caçapava, técnica e força no meio-campo colorado

Conhecido por sua disposição e bom humor, o ex-jogador protagonizou alguns episódios folclóricos no futebol brasileiro, dentre os quais podemos destacar a ocasião em que tentou convencer o médico do colorado a não realizar uma operação no seu joelho direito. “Doutor, se eu chutar a bola com a direita, o menisco tem que doer? Eu não sinto nada!”, indagou. Contrariado pela resposta afirmativa do médico, que confirmava o aparecimento da lesão no exame de artroscopia, Caçapava retrucou: “Então esse joelho aí não é o meu!”.

A vinda deste grande ídolo do passado só foi possível pela união dos integrantes do Consulado Colorado de Palmas, que fizeram uma campanha para arrecadar recursos para a compra das passagens e conseguiram um lugar para a estada deste personagem fundamental na história do Clube do Povo.

Mesmo com a campanha vacilante do Internacional no segundo turno, a expectativa é que Adega do Cláudio mais uma vez esteja lotada de colorados para acompanhar o clássico. Conforme o idealizador de Caçapava a Palmas, nosso comparsa no Golpe de Cabeça, Anderson Fonseca, em um Gre-Nal a má fase técnica fica de lado e prevalece a rivalidade, o que pode iniciar uma retomada do campeonato por parte do time vencedor. “E claro que esperamos que o vencedor seja o Inter, que joga em casa, inclusive!”, ressalta.

O churrasco de domingo ocorrerá a partir das 12 horas, com o valor de R$ 30,00 por pessoa. O jogo começa às 15 horas. O Inter hoje é o terceiro colocado no campeonato nacional, com 49 pontos, enquanto o Grêmio é o oitavo, com 44 pontos.

Abraços,
Daniel Machado, Marcio Santos e Anderson Fonseca

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Esportes, Futebol, Inter

A chance de voltar a ser grande

 Morei no Uruguai muitos anos, o meu pai e uruguaio e um dos meus dois irmãos também. De Montevidéu lembro uma cidade diferente, em especial quando comparação com Palmas, no Tocantins. Há muitos anos não vou ao Uruguai.

Alias, hoje, eu sou casado, acabei de ver a minha querida filha nascer e a visita ao país vizinho (do RS, pelo menos) é apenas um plano sem data marcada. A distância, porém, nunca me afastou definitivamente do país, o qual eu tenho um grande apreço e, quem saiba, volte a morar.

O Uruguai é um país pequeno, com pouco mais de 3,5 milhões de habitantes. Mesmo assim, já foi um gigante do futebol. Duas vezes campeão do mundo (1930-1950), os uruguaios ainda tem dois títulos olímpicos. As grandes glórias, porém, estão muito no passado. Há muito tempo o Uruguai não faz boa Copa do Mundo. Inclusive, os celestes ficaram foram dos mundiais de 1994, de 1998 e de 2006. Para completar, em 2002 a vaga só veio na repescagem contra a Austrália. Hoje, 14 de outubro de 2009, a seleção uruguaia tem a chance histórica de dar um passa para voltar ao clube das grandes seleções.

Na sua casa, o estádio Centenário, em Montevidéu, a Celeste recebe a Argentina precisa de uma vitória simples para se garantir na Copa de 2010, na África do Sul. O palco ao poderia ser melhor, pois lá o Uruguai venceu sua primeira Copa, no já longínquo ano de 1930, exatamente contra a Argentina. Empate ou derrota podem deixar o Uruguai fora até mesmo da repescagem. Por isso, depois de tantas frustrações, tantos “azares”, tantas derrotas, a hora de vencer é agora.

Em 19950, o Uruguai levantou a taça

Em 19950, o Uruguai levantou a taça

O povo uruguaio ama o futebol. Juntos, seus dois principais clubes, Nacional e Peñarol, têm oito libertadores somadas e seis mundiais. Porém, há mais de 20 anos a população uruguaia sofre com dirigentes ruins, crise econômica e um futebol em decadência técnica. Isso faz com que as pessoas, aos poucos, se afastem e tenham menos apreço pelo futebol.

Porém, como o esporte sempre dá revanches, hoje o final pode ser diferente. O estádio estará completamente lotado. O Uruguai, hoje, tem a chance de voltar a ser respeitado e temido.

Abraços,
Daniel Machado

Deixe um comentário

Arquivado em Futebol, Geral